Especial dos Blogueiros: Colômbia por Viajante em Série

Colômbia, um país surpreendente, por Suzy Freitas

Viajantes seriais, como eu, não precisam de desculpas para arrumar as malas. Mas se aparecer um bom motivo, o impulso para uma nova viagem aflora. Desde que meu irmão caçula se mudou com a esposa para Medellín, encampei a ideia de visitá-los e dar uma esticada até outras duas cidades que já estavam na minha lista de desejos: Cartagena e Bogotá, que ficam a uma hora de avião de Medellín. Partimos eu, o maridão, minha filha de 16 anos e um casal de tios para revermos os parentes e conhecermos o mais novo membro da família, que nasceu na Colômbia. De quebra, descobrimos lugares incríveis e ficamos encantados com a cordialidade dos colombianos.

A diferença de altitude do relevo e a proximidade com a linha do equador garantem ao país uma grande diversidade de clima, paisagens e culturas. Durante os 12 dias de nossa viagem, experimentamos temperaturas e altitudes que variaram de 15º C e 2.600m, em Bogotá, 26º C e 1.520m em Medellín e 36º C ao nível do mar em Cartagena.

Linda e banhada pelo mar, Cartagena foi a cereja do bolo da viagem. Andar a pé ou de carruagem pela “cidade amuralhada”, formada por 50 quarteirões dos séculos 16 e 17, cercados por 11 km de muralha, é um maravilhoso regresso ao passado. Fora das muralhas, o Castillo San Felipe (1639-1657) e o Monasterio de La Popa (1607) oferecem mirantes com vistas esplêndidas da cidade. Para completar, de Cartagena podem ser feitos passeios a ilhas e praias do caribe colombiano.

Medellín é a segunda maior cidade do País e chama a atenção pela revitalização após o fim do cartel comandado por Pablo Escobar. Agora, esse drama virou história para contar aos turistas. Ficamos admirados com as modernas soluções de mobilidade, como o metrocable, e com as obras gigantescas do artista plástico Francisco Botero, nascido em Medellín, expostas na Plaza de Las Esculturas. E a uma hora de carro, chega-se ao pequeno povoado de Guatapé, com sua bela represa e a enorme pedra Peñol, encravada – não se sabe como – no alto de uma colina.

Bogotá é uma metrópole com ótimas opções gastronômicas e de compras. Subir o Cerro de Monserrate, a 3.152m de altitude, de funicular ou teleférico, é passeio obrigatório. No centro antigo, passeamos pelas ruas de casinhas coloridas da Candelária e pela Plaza Bolívar, onde ficam os prédios do Capitólio, da Suprema Corte e a Catedral Primada. Na região central, ainda, visitamos o Museu del Oro, considerado um dos melhores da América do Sul, e o Museu Botero.

No último dia da viagem, fizemos um bate-volta à pequena cidade de Zipaquirá (1h30 de carro), onde está a belíssima catedral construída dentro de uma mina de sal, e almoçamos no povoado de Chia, no Andre Carne de Rés, o restaurante mais impressionante e divertido que conheci na vida.

A gentileza dos colombianos, sempre sorridentes e prestativos com os turistas, ajuda a desfazer a ideia de um país marcado pelo passado de violência causada pela guerrilha e pelo narcotráfico. Caminhamos pelas ruas, utilizamos taxi (super barato!) e transporte público, sem qualquer problema. A área turística de Cartagena é bastante segura e policiada. As regiões centrais de Medellín e Bogotá exigem os mesmos cuidados que qualquer outra grande metrópole da América Latina. Por isso mesmo, ficamos estarrecidos com o atentado – de autoria ainda não identificada – que ocorreu recentemente num centro comercial de Bogotá, pois destoa completamente do clima de paz que encontramos. Esperamos que seja um fato isolado.

Hotéis, restaurantes e serviços turísticos têm excelente custo e qualidade. Enfim, voltamos maravilhados com a Colômbia, um país que merece ser visitado, com mucho gusto!

Bogotá

No centro histórico de Bogotá se destaca a Igreja N. S. do Carmo (1927) com torre em estilo gótico e fachada com listas em tons ocre e branco.

 

O Cerro Monserrate, a 3.152m de altitude, oferece uma vista panorâmica de Bogotá.

 

O acesso a Monserrate pode ser feito de bonde ou funicular (foto).

 

A Plaza Bolívar é o centro político da capital colombiana, concentrando os prédios do Congresso Nacional, Prefeitura e Palácio da Justiça.

 

Caminhar pelas ruas de casas coloridas do antigo bairro da Candelária é passeio obrigatório em Bogotá.

 

Museu Del Oro é o maior do gênero no mundo, com acervo de mais de 30 mil peças de ouro.

 

Catedral do Sal, na pequena cidade de Zipaquirá, foi construída dentro de uma mina de sal explorada de 1801 a 1992.

 

Boa comida, decoração exuberante e performances de música, dança e teatro são a os ingredientes do sucesso do Andre Carne de Rés, restaurante localizado no povoado de Chia.

 

Cartagena

Principal destino turístico da Colômbia, Cartagena encanta pelo preservado patrimônio histórico de sua cidade amuralhada, banhada pelo mar caribenho.

 

Playa Blanca fica a uma hora de Cartagena e tem aquele visual paradisíaco do Caribe, com mar azul bebê e areia branquinha.

 

Vendedoras de frutas em trajes típicos, as chamadas palanqueiras, posam para foto no Centro de Cartagena.

 

Sacadas coloridas por flores são típicas das casas com arquitetura espanhola do século 16 e 17.

 

Índia Wayuu tece as famosas bolsas coloridas em rua da cidade amuralhada de Cartagena.

 

La Piedra Peñol, em Guatapé, tem 740 degraus: programa para quem tem preparo físico!!!

 

Medellín

Esculturas gigantescas de Francisco Botero, artista que nasceu em Medellín, estão expostas na Plaza de Las Esculturas.

 

Prédios cobertos de tijolinhos são típicos da arquitetura de Medellín, cidade que é a capital da província de Antioquia e a segunda maior da Colômbia.

 

Metrocable é uma das soluções implantadas para conectar os bairros populares que ficam nos morros ao centro de Medellín.

Mais uma dica? Passa no blog http://www.viajantemserie.blogspot.com.br porque tem muito mais!!! Você vai amar…

Turnê musical na Europa

Para onde a música me levou… por Daniele Haak

Eu já contei em outro texto aqui no blog, que a minha formação musical reflete em tudo que fiz e faço, inclusive nos laços de amizades que criei em decorrência dela e também as qualidades que ela me proporcionou como profissional do direito.

Outro aspecto da música que acho incrível é que já fui a muitos lugares que provavelmente não teria ido, não fosse a música. E mesmo que fosse, jamais seria com a mesma intensidade na experiência.

Aliás, quando comecei a tocar profissionalmente até imaginei que iria a muitos lugares, mas nunca que a música me levaria tão longe como, por exemplo, para Europa, onde fomos em 2015.

Tudo começou em 2013, quando um grupo do sul da Alemanha conheceu o trabalho do Grupo Festmusik, criado pelo meu pai e do qual faço parte. Eles nos informaram que fariam uma turnê no Brasil em 2014 e gostariam de se apresentar em Joinville. Resumindo: organizamos tudo para a vinda deles que, diante do sucesso dos eventos, nos convidaram para irmos à Alemanha.

Foi assim que, em 2015, realizei o projeto “Exportando Cultura Joinvilense”. Aproveitamos a passagem pela Europa para realizarmos mais apresentações e ao todo foram nove, entre Alemanha, Áustria e Suíça. Na Suíça conseguimos mobilizar a parceria entre Joinville e sua cidade irmã Schaffhausen. Nossos munícipes irmãos nos receberam, maravilhosamente bem, para uma apresentação e também para tocarmos num desfile de outono, em meio aos vinhedos suíços com a presença de oito mil pessoas. Foi mágico, maravilhoso e inesquecível! Numa charrete onde estava escrito, em alemão, a parceria entre Joinville e Schaffhausen! Nós realmente conseguimos empolgar e alegrar o povo suíço!

Na Alemanha tocamos num encontro de grupos folclóricos, uma experiência muito rica que nos oportunizou o contato com a execução da música folclórica atual na Alemanha. Interessante foi constatar que há muitas músicas que tocamos aqui como sendo “folclóricas alemãs”, mas eles não conhecem, contudo, há muitas outras músicas em comum no repertório folclórico. Também fomos recebidos no gabinete pelo Prefeito de Sontheim an der Brenz, cidade ao Sul da Alemanha, que, antes de nos receber, realizou pesquisa sobre Joinville e sabia as principais características e fatos históricos da cidade – a organização e o protocolo alemão me encantam sempre!

O mais curioso foi constatar que grande parte não fazia ideia que havia descendência alemã no Brasil, muitas vezes fomos perguntados: mas vocês são do Brasil mesmo? Como pode isso? Penso que talvez seja pelo fato de a migração para eles não ser algo tão visível na história, como é a imigração para nós aqui.

E foi a partir deste projeto que nos animamos a continuar “Exportando a cultura Joinvilense”, sendo que neste ano de 2017, mobilizamos a parceria entre Joinville e Spisska Nova Ves, nossa cidade irmã na Eslováquia, onde estaremos em agosto realizando apresentações com repertório genuinamente brasileiro. Lá, o “Quarteto Joinville” irá fazer uma viagem musical pelo Brasil apresentando aos eslovacos os diversos ritmos brasileiros.

Por isso digo, não fosse a música em minha vida eu jamais viveria estes momentos. É totalmente diferente irmos a um lugar para participar da cultura local, realmente ser parte dela. Eu até poderia conhecer os lugares que fomos e que ainda iremos, mas com certeza não seria a mesma experiência. Bem provável que eu não iria ter um contato tão próximo com a população local e viver genuinamente os costumes e hábitos, como aconteceu na Alemanha, onde ficamos hospedados na casa de Alemães e onde fomos levados a inúmeros lugares que eles costumam frequentar, ou seja, não são lugares turísticos.

Ah, e para terminar, depois da Eslováquia, nossos planos são “visitar” nossa cidade irmã no EUA, Chesapeake.

O Grupo Festmusik.

 

o “Dia do idoso Sontheim” nós acabamos inserindo no roteiro de apresentações a pedido do Prefeito de Sontheim.

 

 

Em Sontheim também aconteceu algo super legal! Um senhora leu no jornal que um grupo de brasileiros iria se apresentar na cidade, mas ela não tinha condições de sair para assistir, porque já estava com 101 anos. Assim, seus parentes conseguiram nos contatar e fizemos uma apresentação especial na casa dela.

 

Na charrete onde desfilamos num festival de outono numa localidade em meio a vinhedos – um paraíso.

 

 

Especial dos Blogueiros: Caminando el Mundo

Por que nós adoramos viajar?

Oi amigos! Nós somos Martín e Belén, da Argentina e hoje vamos contar para vocês porque e como nós viajamos para curtir a viagem o máximo possível.

Primeiramente, vamos comentar as principais razões pelas quais nós gostamos muito de viajar. A primeira delas é como a nossa cabeça se abre ao conhecer diferentes culturas e estilos de vida. Com todas as viagens que nós fazemos, por menores que elas forem, descobrimos que você nunca volta a ser o mesmo que já foi. Acreditamos que as viagens sempre nos fazem crescer, e de um jeito ou outro, viramos alguém diferente daquele que éramos antes de partir.

A segunda é a curiosidade que nos move; queremos aprender e conhecer o tempo todo um pouco mais sobre o que nos rodeia. Nós adoramos ir a lugares aos quais nunca fomos para saber mais sobre sua história e compreender seus costumes. Nós aprendemos a não prejulgar, nem antes nem depois de conhecer os fundamentos. Aliás, temos respeito e entendemos o pequeno lugar que ocupamos em um mundo tão grande e variado.

Quando começamos a planejar uma viagem, não reparamos tanto no destino em si, visto que a nossa ideia é, em algum momento, viajar pelo mundo afora. Entretanto, gostamos de conferir todas as atividades e como podemos organizá-las para curtir o máximo.

É nesse momento quando se começa a sonhar: quando a viagem começa. A partir daí, você deve desfrutar.

Na chegada ao destino, na maioria das vezes, nós andamos a pé pela cidade e, se as distâncias forem grandes, viajamos de transporte público para compreender a essência do povo e nos conectarmos ainda mais com os moradores. Nós consideramos o povo local o modo certo de entender melhor os lugares e áreas menos turísticas que visitamos.

Além do mais, outra coisa que costumamos fazer quando viajamos é experimentar a comida típica do lugar, sobretudo se for desconhecido ou pouco comercial, pois isso deixa a experiência ainda mais prazerosa.

Quando se começa a viajar, logo se torna um vício e hoje há todo tipo de comodidades, tais como house-sitting, couchsurfing, voluntários, entre outros. Desse jeito, felizmente, a viagem fica um pouco mais fácil de pagar. Assim, a questão monetária não é mais uma desculpa para não se aventurar no mundo das viagens.

Esperamos que, caso você ainda não tenha sido encorajado a viajar, comece a fazê-lo. Nós garantimos que você não vai se arrepender.
Saudações da Argentina!

Siga em caminandoelmundoblog.com

¿Por qué amamos viajar?

Hola amigos, somos Martín y Belén de Argentina, y hoy les vamos a contar por qué amamos viajar y cómo hacemos para disfrutarlo al máximo.

Antes que nada vamos a contarles los principales motivos por los que nos gusta tanto viajar. El primero es la forma en que te abre la cabeza conocer diferentes culturas y formas de vivir. Con cada viaje que hacemos, por más corto que sea, comprobamos que realmente uno nunca vuelve siendo el mismo. Creemos que los viajes siempre nos hacen crecer, y de una u otra forma, alguna parte de nosotros no vuelve igual.

El segundo es la curiosidad que nos mueve, esas ganas de querer aprender y conocer todo el tiempo un poco más sobre lo que nos rodea. Nos encanta ir a lugares que nunca fuimos para recorrer, conocer su historia y entender sus costumbres. Aprendimos a no prejuzgar, ni juzgar luego de conocer los fundamentos, sino que respetamos y entendemos el pequeño lugar que ocupamos en un mundo tan grande y variado.

Cuando empezamos a planear un viaje no nos fijamos tanto en el destino en sí, ya que nuestra idea es, en algún momento, poder conocer cada rincón del mundo, pero si nos gusta ir viendo todas las  actividades y cómo podemos acomodarlas para disfrutar todas las que podamos, al máximo.

En ese momento, cuando uno empieza a soñar, es cuando el viaje comienza. En ese momento es cuando uno debe empezar a disfrutar.

Al llegar al destino, la mayoría de las veces nos gusta más caminar por la ciudad, y si son distancias un poco más grandes tratamos de movernos en transporte público, para entender la esencia de los habitantes y conectarnos más con ellos. Consideramos estas formas como las más acertadas para conocer mejor los lugares, ya que podes andar por zonas menos turísticas,

Siguiendo un poco con esto, otra cosa que también hacer cuando viajamos, es comer y probar todas las comidas típicas de los lugares, mejor aún si es en lugares no tan conocidos o comerciales.

Cuando uno empieza a viajar se va haciendo adictivo, y con todas las facilidades de  hoy en día, como el house-sitting, couchsurfing, voluntariados, entre otros, por suerte, se hace un poco más fácil poder costearlo. Así que el tema monetario ya no es una excusa para aventurarte en el mundo de los viajes.

Esperamos que, si todavía no se animaron a viajar, empiecen a hacerlo. Les aseguramos que no se van a arrepentir.

Saludos desde Argentina!

Alimentação e Imunidade

O inverno está chegando e com ele muitas doenças como gripes e resfriados! Pensando nisso, nossa colaboradora nutricionista, Débora Durante, agiu rápido e preparou um jeito bem simples de nos precavermos e cuidarmos de nossa imunidade!  Vamos lá:

Existem vários fatores que podem deixar a nossa imunidade baixa. A má alimentação é um deles, assim como quadros de estresse prolongado, ansiedade extrema, excesso de atividade física, sem auxílio de profissional, consumo elevado de bebida alcoólica, distúrbios do sono (insônia ou horas de sono insuficientes).

A alimentação é muito importante, pois devemos suprir nossas necessidades de vitaminas, minerais e diversos outros nutrientes encontrados nos alimentos para a manutenção do sistema imunológico.

Alguns alimentos que ajudam nessa manutenção da imunidade são:

Frutas Cítricas como laranja, acerola, kiwi, limão, bergamota, morango, além de brócolis, couve, espinafre e pimentão verde e vermelho que são ricos em vitamina C, antioxidante que aumenta a resistência do organismo. O ideal é consumir essas frutas in natura ou na forma de suco. Brócolis, couve, espinafre e pimentão podem ser feitos no vapor, método onde se preserva grande parte dos nutrientes.

Feijão, cogumelos e fígado são alguns dos alimentos que apresentam ácido fólico. O nutriente auxilia na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo. Procure consumir feijão de 2 a 3 vezes por semana. Os cogumelos combinam com diversas preparações, como em molhos para uma massa ou até mesmo em uma salada. Fígado grelhado acebolado é uma ótima opção para consumi-lo.

Carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico) são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico. Uma dica é adicionar sementes juntamente com o arroz integral, por exemplo com linhaça, gergelim ou chia. Fica muito nutritivo! As castanhas podem ser consumidas como pequenos lanches, apenas elas e uma fruta ou com iogurte e até em saladas. As leguminosas podem ser servidas em sopas, na forma de creme, processando-as depois de cozidas.

Gengibre, rico em vitaminas C, B6 e com ação bactericida, auxilia nas defesas do organismo. Pode ser consumido em pó ou na forma de raiz. Uma dica é colocar uma rodela da raiz de gengibre em uma jarra de água e beber ao longo do dia ou usar essa água para temperar carnes ou em molhos. Também é possível até mesmo mastigar um pequeno pedaço da raiz.

Portanto, uma passada na feira ou no supermercado pode nos afastar do consultório médico!! E nada como uma boa sopinha para quando o frio chegar!

Sopa Creme de Grão de Bico com Legumes
*É opcional adicionar uma carne, devido ao grão de bico já ser uma ótima fonte de proteína de origem vegetal!
300g de grão de bico cozido
2  cebolas e 2 dentes de alho
3  tomates picado
2  folhas Couve
2  cenouras
Salsa e cebolinha à gosto
Manjericão fresco à gosto
Sal à gosto
Faça um caldo de legumes: coloque água em uma panela e adicione uma cebola, um dente de alho, um tomate, uma cenoura, talos de salsa, ervas à gosto. Deixe ferver. Você irá usar esse caldo na finalização da sopa.
Passe o grão de bico cozido em um processador.
Em uma panela grande, faça um refogado com uma cebola e o dente de alho. Deixe dourar. Adicione os 2 tomates picados e uma cenoura também picada ao refogado. Adicione uma concha do caldo de legumes a esse refogado. Depois de ferver bastante, espere esfriar um pouco e passe o mixer. Volte para a panela e aos poucos, adicione o grão de bico processado. Não pare de mexer. Dê a consistência mais líquida ou mais espessa da sopa de acordo com a quantidade de caldo de legumes que você for adicionando. O caldo deve estar sempre bem quente!
Corte as folhas de Couve bem fininha e adicione no final. Ela irá cozinhar dentro da própria sopa.
Adicione sal à gosto, a salsa e cebolinha picadas e as folhas de manjericão fresco.

Alimentação natural para os pets

De volta a era da comida de verdade

Por Clarissa Abicht, médica veterinária especialista em oncologia e nutrição.

A AN (Alimentaçao Natural) é um termo que tem sido muito utilizado entre tutores e redes sociais no meio pet. Antes de surgirem as primeiras rações em forma de grãos, a alimentação de cães e gatos era predominantemente carnívora e com fontes variadas de alimentos. Essa continua sendo a fórmula ideal: Sem conservantes, corantes, palatabilizantes e aditivos químicos.

Dar comida de verdade não significa dar restos de comida para o seu pequeno/a, refere-se a uma dieta caseira elaborada de forma personalizada atendendo plenamente os requerimentos nutricionais, anatômicos e fisiológicos do seu cão ou gato. A Alimentação Natural é alvo de pesquisas e estudos há mais de cinquenta anos (Fromm Family Food, 1949 – EUA). Os australianos são os principais produtores de material de qualidade sobre o assunto. Na Europa há um grande número de adeptos a comida de verdade para seus cães e gatos. No Brasil, as prescrições de AN, que só pode ser realizada por médicos veterinários ou zootecnistas, tornaram-se mais frequentes há um pouco menos de 10 anos.

Mas por que mudaria a alimentação do meu pet? Voltando no tempo, os felinos são originários do deserto e fisiologicamente, quando alimentados de forma correta, quase não bebem agua. Sua alimentação de origem oferece 70 % de ingestão hídrica para o animal. Dessa forma, relaciona-se com a ingestão de rações secas a alta casuística de cálculos urinários e problema renal. Há poucas décadas também passamos a nos preocupar com obesidade e diabetes em nossos animais. A obesidade e os problemas relacionados a ela surgiram praticamente junto com as rações, assim como os problemas crônicos de pele. Sabemos que o câncer é basicamente causado por fatores ambientais e a alimentação inadequada faz parte desses fatores. Além da medicina humana, na medicina veterinária o aumento da casuística de doenças crônicas também converge a um maior consumo de alimentos refinados e calóricos.

A Alimentação Natural balanceada aliada ao exercício físico promete longevidade, qualidade de vida, diminuição de doenças crônicas, além de maior disposição e saúde geral do pet. Através de um profissional nutrólogo ou adepto ao assunto, é possível calcular as necessidades nutricionais de acordo com a raça, estilo de vida e problemas de saúde, trabalhando com variação de cardápio para que fique atrativo e muito palatável, e o melhor: sabendo exatamente o que está sendo ofertado. A nutrição tem papel fundamental na boa imunidade do seu pet e deve ser tratada de forma responsável e séria.

 

 

A música na minha vida

Por Daniele Haak, advogada e musicista.

Quando eu tinha 4 anos de idade meus pais me matricularam numa escola de música onde comecei estudando flauta doce. Desde então, todos os eventos da minha vida pessoal e profissional, inclusive minha carreira como advogada, receberam e recebem a influência da minha formação musical. Depois da flauta doce, quis estudar piano, que logo desisti. Resolvi que queria estudar violino, mas logo desisti também. Então comecei a estudar teclado e depois de aproximadamente três anos, comecei a achar o teclado limitado. Aos 13 anos disse aos meus pais que queria estudar piano novamente e dessa vez não desisti! Eu já tinha uma boa base de linguagem musical e sempre fui disciplinada, embora hoje saiba que deveria ter sido ainda mais!

Com meus estudos evoluindo, meu pai, que toca bandoneon, começou a despertar novamente para seu instrumento e foi então que ele começou o Grupo Musical Festmusik, voltado à preservação da música folclórica alemã. O Grupo foi o meu ponto de partida para criar desenvoltura e experiência no palco e também para falar em público, fato fundamental na minha carreira como advogada.  Na mesma época, lá pelos meus 14 anos, eu comecei a dar aula de música, especialmente de teclado e de musicalização infantil, enquanto continuava meus estudos no piano. Também nesta época, conheci a Sociedade Cultural Alemã de Joinville, que organizava a programação cultural alemã da Festa das Flores na época e onde meu pai queria se apresentar com nosso grupo. Pois bem, mais um caminho para o qual a música me levou: atualmente sou Diretora de Eventos da entidade.  Na Sociedade Cultural já produzi dezenas de eventos e projetos e realizo a curadoria do projeto Domingos Musicais – o mais longevo projeto musical de Joinville, que acontece há 17 anos e um dos poucos projetos que oportuniza aos demais músicos da cidade um espaço de qualidade para se apresentar com um seleto público.

Obviamente tudo isso foi só um ponto de partida, pois além do Festmusik, eu passei a desenvolver projetos em outros estilos musicais. Aliás, os projetos culturais também pautam o meu dia a dia. Atualmente estou trabalhando em três simultâneos: o projeto Música Instrumental nas Escolas, no qual levamos música erudita às escolas públicas de todo o estado de Santa Catarina; o projeto Exportando Cultura Joinvilense, com o qual iremos apresentar músicas brasileiras na cidade irmã de Joinville na Eslováquia em agosto de 2017 e o projeto “Musicando nos CEIs” no qual levamos música às creches do município, visando introduzir as crianças no mundo da música.

O mais incrível é que, quando olho para minha vida, percebo que todos os meus grandes amigos, as pessoas por mim queridas, surgiram por meio da música: alguns por me contratarem para apresentações; pais de alunos que viraram amigos, como é o caso da Dani Goes, e também os próprios músicos parceiros em projetos. A verdade é que há uma áura diferenciada em quem aprecia a boa música. Quem se preenche com música e com arte como um todo, tende a ter uma conversa envolvente, diferente e rica em muitos aspectos.  Por isso tudo, pelo que a música me oferece, sou muito grata pelas pessoas que ela trouxe ao meu convívio. Inclusive, se hoje estou num escritório de advocacia conceituado, creio que em partes devo isso à música pois, por meio dela, construí uma imagem de credibilidade, obstinação e seriedade, elementos essenciais a qualquer profissão.

Com isso, deixo um pouco do que a música me trouxe e por conta disso eu recomendo, insistentemente, que todas as crianças tenham o mínimo de acesso à música. Mesmo que elas não se transformem em instrumentistas, nós precisamos de bons ouvintes também.

Daniele Haak.

 

 

Apresentação de Dani Haak no Teatro Juarez Machado, Joinville.

 

Aula na Igreja da Paz em Joinville no órgão de 600 tubos, aproximadamente.

 

Na flauta, Martina! No sax, Gabi! E no vocal, João!! A primeira banda de rock a gente nunca esquece!!

 

Cardápio para o Dia das Mães

Estamos comemorando a Semana das Mães! Sim!!! Nesse blog, as Mães merecem uma semana inteira para serem prestigiadas! Pensando num almoço, mais que especial, nossa colaboradora nutricionista, Débora Durante, preparou três cardápios!

Escolha o seu e  feliz Dia das Mães!!

Mãe Moderna 

No quesito alimentação, adora fazer receitas decoradas, combinando os pratos com copos e talheres, guardanapos com o jogo americano. Inovando sempre na apresentação do prato! É a mãe que adora se atualizar com receitas novas e em como servi-las de forma bonita para sua família e amigos. Como é uma mãe bastante atarefada, opta por receitas fáceis de preparar e rápidas. Para esta mãe a dica é um Spaghetti ao Pesto de Ervas Frescas acompanhando Medalhão de Filé.

Spaghetti de sua preferência.

Pesto: bater no liquidificador – Manjericão, manjerona, salsa e cebolinha juntamente com azeite de oliva. Adicionar nozes picadas. Grelhar o filé e finalizar com ervas como enfeite no prato!

Sobremesa: Brigadeiro de Colher com Castanha de Caju picada ou amêndoas em lâmina. Sirva o brigadeiro em copinhos e enfeite com a castanha picada ou amêndoa laminada.

Mãe Fitness

É aquela mãe que não falta academia. Adora praticar exercício físico e cuidar da alimentação de si e da família. Como gosta de ter uma alimentação saudável e variada, ela opta por receitas práticas e fáceis de preparar, para não perder muito tempo. Para esta mãe a dica é um prato leve e prático de fazer. Uma ótima opção é o Escondidinho de Batata Doce à Bolonhesa.

Primeiramente, cozinhar a batata doce e fazer um Purê. Utilize carne moída de Patinho (mais magrinha!) para fazer o molho bolonhesa. Refogue cebola, alho, ervas frescas, salsinha, cebolinha e tomate para o molho. Monte em uma forma uma camada de molho bolonhesa, queijo mussarela e o Purê de Batata Doce. Finalize com grãos e sementes por cima (chia, linhaça, gergelim…) e coloque no forno.

Sobremesa: Frutas assadas com açúcar mascavo (ou demerara) e canela em pó. Cortar maçã, pêra e abacaxi em rodelas não muito grandes. Retirar sementes. Coloque em uma forma e polvilhe um pouco de açúcar mascavo e canela por cima delas. Podem ser servidas ainda quentes, com uma bola de sorvete de creme Diet (opcional).

Mãe Gourmet

É aquela mãe que adora estar na cozinha, criando receitas para a família e amigos. Adora comidas que ficam horas no fogo para realçar o sabor, utiliza temperos diferentes e adora usar especiarias. Para esta mãe a dica é um Frango ao Curry acompanhando uma polenta cremosa com açafrão.

Corte o Peito de Frango em Cubos. Refogue com cebola roxa e alho. Adicione um pouco de alecrim. Coloque tomate picado e deixe em fogo baixo refogando. Adicione um pouco de Curry. Prepare a polenta bem cremosa, adicione um pouco de açafrão em pó.

Sobremesa: o tradicional Pudim de leite condensando feito por uma mãe que adora estar na cozinha não tem erro! Certamente será daqueles deliciosos!

 

Os benefícios de conviver com os pets

 

Por Clarissa Soares Abicht, Médica Veterinária, especialista em Oncologia Veterinária e Consultora Nutriciona

Ganhar muito amor independente de qualquer condição, sair de casa durante 30 minutos ou 8 horas e ser recepcionado com a mesma alegria sempre, varrer os pelos, cuidar da alimentação, se preocupar com a água sempre fresca, sair para passear em dias chuvosos ou domingos e feriados onde o que mais queremos é ficar atirados sem fazer nada. Acredite, tudo isso faz muito bem para o seu corpo e sua mente!

Inúmeras pesquisas são desenvolvidas mostrando que a relação homem-animal traz benefícios e uma visível melhora na qualidade de vida de todos aqueles que decidem por dividir a sua rotina com um amigo de quatro patas. É comprovado que crianças e adolescentes autistas que convivem com um cão, gato, coelho, pássaros, roedores e aves, apresentam melhora na interação social. Ter um animal em casa pode fazer com que se sintam mais à vontade para conversar e contar sobre o seu bichinho de estimação, por exemplo. Bebês que convivem com animais são mais saudáveis. Na Finlândia, pesquisadores acompanharam crianças, desde o seu nascimento, durante um ano e concluíram que bebês que tem contato diário com animais de estimação, principalmente cães e gatos, tem menor risco de infecção respiratória e também menor necessidade de tratamentos com antibióticos. Mulheres em período gestacional também se beneficiam da companhia de um animal de estimação. Um estudo em Liverpool revelou que um simples passeio com o cão, uma vez por semana, gera efeitos positivos para a saúde da grávida. Na Carolina do Norte foi estudado o comportamento das pessoas que levavam o seu animal de estimação para o trabalho e verificou-se que o nível de estresse do funcionário é menor e o rendimento, nas atividades a serem realizadas, melhor. Na Grã-Bretanha, um trabalho comprovou que pessoas tímidas se tornam mais sociáveis quando convivem com um cão. Em São Paulo um questionário sobre estilo de vida e bem-estar comprova que pessoas que possuem animais de estimação são mais felizes e saudáveis, tem maior auto estima, são menos solitárias e mais extrovertidas, além de apresentarem melhor condição física. Pesquisas também comprovam que a convivência diária com um cão ou gato proporciona a diminuição da pressão sanguínea, dos níveis de colesterol e do estresse, além de reduzir o risco de problemas cardiovasculares. Em inúmeros lares, a prova de que o amor de um animal de estimação pode curar transcende todo nosso entendimento.

Poder conviver com esse amor imensurável que um animal de estimação dedica ao seu dono é inexplicável. Mas alerto que é de extrema importância que ao escolher um animal de estimação, seja compreendido que a vida desse animalzinho será sua responsabilidade por muitos anos.

 

A alimentação dos pequenos em viagem

Por Débora Durante, nutricionista.

O sucesso de hábitos alimentares saudáveis na criança e adolescente depende de muita paciência, afeto e suporte por parte principalmente dos pais. Toda a família deve ser estimulada a contribuir positivamente na alimentação. As refeições devem preferencialmente ser com todos reunidos, sendo esta vista como um ato prazeroso.

As situações mais comuns relacionadas à alimentação oferecida de forma inadequada são: anemia, obesidade e desnutrição. O desenvolvimento precoce da obesidade vem apresentando aumento alarmante entre crianças, adolescentes e adultos em todo o mundo, sendo um problema de saúde pública que tende a se manter em todas as fases da vida. Uma alimentação pobre em nutrientes, ofertando poucas fontes de proteína, minerais e vitaminas, pode causar baixo peso nas crianças, além de deficiências nutricionais. A anemia por deficiência de ferro é na atualidade o principal problema em escala de saúde pública do mundo. Ela causa prejuízos e atrasos no desenvolvimento motor e cognitivo em crianças e que parecem não ser revertidos mesmo após a suplementação medicamentosa com ferro.

 

O comportamento dos pais em relação à alimentação infantil pode gerar repercussões duradouras no comportamento alimentar de seus filhos até a vida adulta. As crianças tendem a não gostar de alimentos quando, para ingeri-los, são submetidos à chantagem ou premiação. Os pais são responsáveis pelo que é oferecido à criança, e a criança é responsável por quanto e quando comer. Em geral, as crianças tendem a rejeitar alimentos que não lhe são familiares. Porém, com exposições frequentes, os alimentos novos passam a ser aceitos, podendo ser incorporados à alimentação da criança. Em média são necessárias de oito a dez exposições a um novo alimento para que ele seja aceito pela criança. Muitos pais, talvez por falta de informação, não entendem esse comportamento como sendo normal e interpretam a rejeição inicial pelo alimento como uma aversão permanente, desistindo de oferecê-lo.

Portanto, os pais tem a responsabilidade de oferecer os alimentos corretos para as crianças. Evitar o excesso de produtos industrializados, optando sempre pelo mais natural possível. Alimentos com muita gordura, açúcar, substâncias artificiais e químicas, quando ofertados de maneira abundante, causam sensações viciantes ao cérebro e a criança irá querer sempre mais. No desenho abaixo, mostra exatamente o que o açúcar causa no cérebro.

O açúcar não está apenas nos doces, está também nos alimentos ricos em carboidratos, como arroz, massas, batata, aipim, pães, etc. Outra substância chamada glutamato monossódico, que tem na maioria dos alimentos industrializados, atua como realçador do sabor. Ele altera a comunicação entre receptores do cérebro, fazendo com que as pessoas comam mais. Ele engana o cérebro e faz com que a pessoa queira mais e mais deste sabor que lhe satisfaz. Isso vai causar danos para o corpo e mente, criando problemas para a vida toda relacionados à saúde, depressão, etc.

Quando a criança e adolescente sai da rotina, em viagens, por exemplo, é de grande importância dos pais a escolha do local que irá fazer as refeições, se o local tem condições adequadas de higiene, se oferta diferentes tipos de alimentos, não apenas os ricos em gordura e açúcar. Tente oferecer e criar curiosidade em alimentos mais saudáveis para seus filhos. Tendo hábitos saudáveis no dia a dia, não será um fast food ocasionalmente que “estragará” tudo. Evitar ficar “beliscando” o tempo todo também é importante. Procurar fazer bem feita as refeições como café da manhã, lanche no meio da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar são fundamentais para não ficar com fome a cada hora.

Muitas crianças e adolescentes optam por alimentos mais a base de carboidrato e gordura, por exemplo, no café da manhã apenas pão com manteiga, no almoço, apenas macarrão e por aí vai. É fundamental ofertar alimentos que tenham fibras e proteína, até para evitar a fome a toda hora. As fibras que tem nos vegetais e legumes no geral, nas frutas, na granola, na aveia, nas oleaginosas como castanhas, amêndoas, cereais integrais, nas leguminosas como feijões e lentilhas e a proteína das carnes, leite e derivados. As crianças precisam de todos estes nutrientes para crescer saudável, evitar deficiências de micro e macro nutrientes e principalmente doenças causadas por uma alimentação incompleta.