Museu da Imagem e do Som em Balneário Camboriú

Museu da Imagem e do Som em Balneário Camboriú, por Daniele Haak

Este ano, coloquei como meta explorar mais o que minha cidade, Joinville- Santa Catarina, oferece, assim como as cidades próximas. Essa meta surgiu depois de uma conversa com amigos numa viagem ao exterior na qual falávamos sobre o fato de nos dispormos a conhecer lugares com duas ou três horas de distância, que muitas vezes nem estavam no roteiro inicial, mas acabávamos incluindo, e perto de nossa casa, nem sempre ou quase nunca, temos a mesma disposição. Existem tantos lugares  e muitas coisas legais acontecendo na “vizinhança” e vamos deixando passar…

Foi tentando cumprir essa meta que tomei conhecimento do recém-inaugurado MUSEU DA IMAGEM E DO SOM que fica em Balneário Camboriú, cidade litorânea a 102 Km de minha cidade, pela BR 101.

O Museu foi inaugurado em julho de 2018 e conta com o maior acervo da América Latina dedicado à história da imagem e do som. Com mais de 3 mil itens, a coleção ocupa seis andares de um prédio no centro da cidade, construído especialmente para  essa finalidade . 

Todo o acervo é de  Fernando Delatorre, filho de Eduardo Delatorre, o responsável pela construção dos três primeiros cinemas de Balneário Camboriú – Cinerama, Autocine e Cine Itália. 

A exposição, em ordem cronológica, começa pela história do cinema com uma sala dedicada aos Irmãos Lumière, passa por Charlie Chaplin e outros, até chegar aos dias atuais. No museu existem dois auditórios, em um deles assistimos ao filme A dog’s Life de Chaplin, produzido e filmado em 1918. No outro, passava um filme do Gordo e o Magro. 

Fonte: Internet
Fonte: Internet

 

O rol de raridades inclui um gramofone inglês fabricado em 1890 e um filme original de Charles Chaplin em 9,5 milímetros, com data de 1917. Ainda há um harmônio (instrumento musical) que funciona e que pertencia à uma antiga igreja de Camboriú e também lanternas mágicas, máquinas fotográficas, filmadoras, rádios, vitrolas e televisores. As peças vêm da Argentina, Uruguai, Chile, Estados Unidos, Europa e Brasil. 

É um programa absolutamente imperdível para os amantes da Sétima Arte, assim como para os amantes do rádio!

Além da imagem e do som, o museu também abriga a coleção de selos e moedas de Delatorre.

O museu fica aberto de terça a domingo, das 13h às 18h. 

Endereço: Rua 700, n.º 44, Centro, Balneário Camboriú/Santa Catarina,

Ingressos: R$ 20,00 inteira. (valor pago em 20/04/2019)

Nota do Blog: O Baú de Família já esteve na Casa dos Irmãos Lumière, os grandes inventores do cinema, e na rua onde filmaram A saída da fábrica, um dos filmes da primeira sessão do cinematógrafo, no Grand Café de Paris em 28 de dezembro de 1895,  La sortie de l’usine Lumière à Lyon (A saída da fábrica Lumière em Lyon).  Te conto tudo nesta carta de Memórias aqui!

Sintra como você nunca viu: pelo olhar do Feng Shui!

Por Camila S.P.Meira, Arquiteta

De 03 a 12 de junho deste ano ocorreu em Sintra, Portugal, o 15° Seminário Internacional de Feng Shui, onde o arquiteto mineiro Carlos Solano e uma equipe de organizadores uniram estudos com viagem cultural. Foi uma celebração: vários professores, palestras, passeios e muita cultura. Tudo vinculado ao tema para proporcionar uma experiência enriquecedora em todos os aspectos.

O que é o Feng Shui? Uma técnica milenar chinesa que avalia e ordena as energias presentes nos ambientes. Existem algumas escolas desta técnica, eu trabalho com a técnica da Bússola e me inscrevi no seminário para complementar meu conhecimento sobre o tema e também para viajar estudando e sabendo o porquê de determinados ambientes e paisagens nos causarem tão boa impressão.

Sintra é uma localidade com sua imponente serra cheia de verde e paisagens de inigualável beleza. Em 1995, recebeu pela UNESCO, a classificação de Patrimônio Mundial na categoria de Paisagem Cultural. Ela possui um excelente Feng Shui urbano, ou seja, uma excelente interação harmônica entre a paisagem, as construções e as pessoas. Suas quintas (antigas residências de veraneio) com jardins floridos e muito ar puro são um charme difícil de descrever.

Seu nome provém do árabe Xentra. Mas também é dito que veio dos Celtas, que chamavam de Cynthia a Serra de Sintra em devoção à lua. Cynthia é a deusa lunar na mitologia grega. Por conta desta devoção à lua que ocorria neste local, é que surgiu o nome Monte da Lua, visto e ouvido até hoje por toda Sintra.

Uma cidade feminina, cheia de matas e águas, associada à lua e aos mistérios sobre o sentido da vida. Muitos pontos interessantes para visitar, apreciar e pensar na vida como Parque e Palácio de Monserrate, os Jardins da Pena, Palácio da Pena, Chalet da Condessa d’Edla, MU.SA (Museu das Artes de Sintra), Palácio Nacional, Castelo dos Mouros,  Palácio e Quinta da Regaleira.

Como características importantes para o Feng Shui, chama a atenção que todos os palácios em Portugal tem lindos jardins que os rodeiam, ou levam a um caminho, fazendo com que as pessoas reflitam sobre suas trajetórias. Esse estudo do caminho, como dizemos na técnica, sempre regido pela força da natureza, é um dos motivos que faz com que o País seja tão especial. E mais especial ainda é Sintra, porque contempla muito a questão da natureza.

E onde se hospedar? Muitas quintas foram transformadas em hotéis, então vale escolher uma delas. Tudo com muito verde, jardins floridos, vistas maravilhosas e aquela bruma ao amanhecer e ao anoitecer que somente um local abençoado pela Lua pode ter. Nós escolhemos e indicamos muito o Sintra Jardim.

Abaixo alguns detalhes para você apreciar:     

Vista interna da circulação do Palácio de Monserrate, residência de verão da família Cook. Uma mansão neo-gótica com inúmeros detalhes riquíssimos. Simplesmente maravilhosa! Vale muito conhecer este lugar e seus jardins. Por que é tão lindo? Porque tem a força do Yang, energia masculina, com a delicadeza feminina da força Yin, através dos desenhos e arabescos mouriscos. Portanto, a harmonia entre as duas energias, Yin e Yang, o delicados e a exuberância, traz como resultado o deleite aos nossos olhos, que tanto admiramos.

 

Ainda no Palácio de Monserrate, a Sala de Música com sua incrível acústica e seu Domo decorado com motivo floral. Também existe uma abóboda central em forma de octógono cor de rosa, que filtra a luz e traz um brilho especial. O octógono é na verdade um Baguá com suas oito partes. O Baguá é um instrumento utilizado pelos terapeutas de Feng Shui, que visa harmonizar as energias da casa. Ele é divido em 8 setores, cada um é chamado de guá  e está relacionado a um aspecto da vida e tem um elemento característico. Vale lembrar que vários palácios de Sintra trazem, até mesmo em pequenos canteiros ou fontes, o formato do octógono.

 

O Palácio da Pena é lindo demais por fora e por dentro, fui em um dia com muita névoa e fiz questão de registrar uma foto com o Adamastor, o Tritão que guarda a divisão dos dois mundos: o aquático e o terrestre.

 

No Castelo dos Mouros, Dom Fernando II (o rei artista e dono da Pena) gostava de pintar na Torre Real e apreciar a vista maravilhosa.

 

Já no poço iniciático da Quinta da Regaleira, é possível percorrer os 27 metros para dentro da terra e chegar literalmente ao fundo do poço. Seus nove andares correspondem às ampliações de consciência segundo a Divina Comédia de Dante. Felizmente, ao chegar ao fundo do poço olhei para cima e vi a luz, aliás uma luz incrivelmente bela!

 

Vista do fundo do poço, um ambiente úmido, escuro e frio; mas mesmo assim, repleto de simbologia.

 

As Grutas do Labirinto sugerem uma viagem e uma procura pela espiritualidade.

 

Ao final de uma delas é possível andar sob as águas, em pedras que foram fixadas em um lago coberto de fino musgo. Qualquer erro ali… Tchibum! Tem que cuidar para não se deslumbrar com a paisagem, deixar para apreciar depois, de mais longe.

 

Aqui na Fonte da Regaleira (que significa Abundância). Na frente da fonte temos um grande banco em semicírculo, um grande espaço para encontro e reunião, ou seja, a abundância vêm da partilha de algo nobre. As iniciais vistas na fonte “CM”, são as iniciais de Carvalho Monteiro, criador da quinta e seus jardins.

 

Por fim, uma vista linda do hotel que fiquei hospedada durante nove dias, o Sintra Jardim.

 

Muito obrigada Camila por compartilhar conosco seu conhecimento e enriquecer o Baú de Família com esta incrível visão sobre Sintra!

Se você curtiu, tem muito mais sobre Feng Shui no Facebook de Camila,  Casa Feng.

Especial Blogueiros: Suas Próximas Viagens

Suas Próximas Viagens, por Silvia e Adriano Bolzani

Assim que começamos a namorar, decidimos fazer uma viagem juntos para ver como seria a convivência entre nós. A experiência foi tão incrível que não paramos mais!

Em nosso dia-a-dia, enfrentávamos a mesma rotina estressante da maioria dos mortais: metas, reuniões e o trânsito caótico de uma cidade grande. Mas as férias, sozinhos ou com os filhos, sempre foram sagradas.

Até que a saúde reclamou e começamos a planejar um período para cuidar de nós dois. Ou – quem sabe? –  esta era apenas a desculpa perfeita para tirar um tempinho e fazer o que realmente amamos: viajar! Ficamos quase um ano nos preparando para o break. Queríamos conhecer lugares novos, outras culturas, descobrir novos sabores e fotografar tudo.

Entre as viagens maravilhosas que fizemos, a mais surpreendente foi aos Parques Nacionais Americanos. Pouco conhecido entre nós, brasileiros, o roteiro é muito prestigiado entre os viajantes locais. Só entendemos o porquê após vivenciar esta experiência. Para os amantes de natureza, a viagem é a verdadeira joia da coroa nas terras do Tio Sam.

A partir de Los Angeles, alugamos um carro e caímos na estrada. Em um mês, foram mais de 8.800 km e 8.000 fotos. Visitamos Death Valley, Grand Canyon, Arches, Canyonlands, Yellowstone e Yosemite.

A primeira surpresa é que os parques são muito diferentes entre si. Visitamos regiões de beleza natural indescritível e quase intocada.  Conhecemos desertos, canyons, rios, cachoeiras, vulcões e praias. Ficamos tão encantados que já estamos planejando visitar outros parques.

Voltávamos de cada viagem com boas histórias e milhares de fotos. Selecionávamos as melhores, que serviam como roteiro para a narração das nossas aventuras aos amigos.  Foi assim que descobrimos o prazer de organizar nossas  dicas e compartilhá-las, criando o site Suas Próximas Viagens.

Já temos um conteúdo bem bacana, mas há ainda muito a produzir. Fazemos com o mesmo cuidado e carinho com que passamos as melhores indicações para os amigos que planejam conhecer os lugares onde já estivemos. Esperamos que você se anime e nos faça uma visita por .

Acompanhe algumas belas imagens dos Parques Nacionais, lembrando que tem muito mais no Instagram @suasproximasviagens e no site.

El Capitan – Yosemite

 

As dunas de Mesquite Flats

 

Arches

 

North Window Arches

 

Tenaya Lake – Yosemite

 

Yavapai Point – Grand Canion

 

Yellowstone

 

Zabriskie Point – Death Valley

 

Nota do Baú: Silvia e Adriano são praticamente profissionais da fotografia! As mais lindas fotos de paisagens do Instagram estão na galeria deles! E no site tem roteiros imperdíveis também! Passa lá para conferir!

Nota do Baú 2: Muito obrigada amigos pela generosidade em compartilhar sua história com os leitores do Baú de Família! Até a próxima!! 

 

Especial Blogueiros: Dedo no Mapa

Com o Dedo no Mapa, por Andrea Santos

Aceitamos com carinho o convite do blog “Bau de Família”  e escolhemos contar um pouco da nossa história, como tudo começou.

As viagens começaram há bastante tempo, o gosto por elas nasceu quando eu ainda era criança. Meu marido compartilha da mesma paixão e desde que nos conhecemos já fomos a muitos lugares. Casamos, vieram os filhos, e com eles a vontade de continuar conhecendo esse mundo!

Cada viagem que fazíamos era contada aos amigos e familiares, que sempre pediam para mandarmos nosso roteiro, e muitos foram seguindo os mesmos passos.

Veio, então, no incentivo deles, a ideia de criar um blog no qual compartilharíamos nossos planos e desafios de viagem, alcançando um número maior de pessoas.

O nome foi ideia do meu marido.

O mapa é o nosso primeiro aliado na hora de pensar onde ir e organizar o roteiro.

Escolhemos o destino baseados em nossos gostos e sonhos. Analisamos a época que dispomos para viajar, e também consideramos promoções de passagens e hospedagem. Daí, escolhido o lugar para onde ir, organizamos cada detalhe do que pretendemos fazer, mas também nos preparamos para as mudanças que surgirem ao longo do caminho.

Já vivemos muitas aventuras! Fomos a Pipa/RN para um bate e volta, quando ainda não havia tantas informações sobre viagem na internet e, ao chegar lá, gostamos tanto que procuramos uma hospedagem e ficamos lá no improviso, até o dia seguinte.

Também já teve viagem surpresa; já tivemos que levar filho ao hospital no meio de uma viagem… Narramos essas experiências no blog e assim tentamos ajudar e incentivar as pessoas a viajarem mais e melhor.

As viagens hoje são nosso maior investimento e as fazemos porque amamos conhecer outros lugares, as pessoas e suas diferentes culturas.

Conhecemos boa parte dos estados brasileiros, além de países na América do Sul, Norte e na Europa.

Para divulgar o blog e dividir nossas experiências temos um perfil no Instagram (@dedonomapa) e página no Facebook.

Ao longo dessa caminhada virtual, temos encontrado parceiros bacanas, como o Baú de Família, que assim como nós investe nesse sonho de descobrir o mundo em família.

Andrea em Niagara Falls, Canadá.

 

Nova York.

 

Praia de Pipa, no Rio Grande do Norte.

 

Praça da República, em Santiago do Chile.

 

Na pesca de piranhas, em Miranda, Pantanal.

 

O Baú de Família super agradece a Andrea por compartilhar conosco um pouco de sua história! Passem lá do dedonomapa.com.br para conhecer os destinos incríveis dos colegas!! Muitos roteiros e fotos bacanas!

Especial Blogueiros: Marina ao Mundo

Por Marina Rodrigues

Iniciei minha história e paixão por viagens desde muito nova! Mas a minha grande realização, foi em 2013, esse ano mudou minha vida! Foi o ano onde eu fiz uma grande viagem, foi o meu primeiro contrato de trabalho em um navio de cruzeiros!

Trabalhei como garçonete nos bares dentro de navios e conheci 29 países, viajando e trabalhando! Foi uma experiência enriquecedora, valeu muito a pena mudar de vida!

A princípio, criei o blog Marina ao Mar (hoje chamado Marina ao Mundo), para contar minhas experiências pré e pós embarque em navios de cruzeiro como tripulante! Depois disso o amor por viagens foi ficando mais intenso e decidi montar o blog de uma maneira diferente, além dessa mídia eu expandi para o instagram e o recém canal no youtube chamado MarinaaoMundo, com a intenção de compartilhar minhas experiências e motivar pessoas a viajar, tornar a vida delas mais especial conhecendo novos lugares! (Ainda que fosse da tela de um computador ou celular viajando comigo).

Fiz minha primeira viagem de férias sozinha em 2015, quando fui para uma cidade argentina chamada Salta e foi uma experiência na qual eu fiz com que se tornasse um dos estilos favoritos de viagem para mim!

Salta, Argentina.

Parte do tema das minhas redes sociais é mostrar que é possível se divertir sozinho e acompanhado (a) também, o importante é viajar. Porque eu descobri que tudo que eu via em relação a viagens, sendo: filmes, música, livros e cheguei a conclusão de que uma viagem transforma, muda e faz com que não seja apenas um objeto comprado em uma prateleira, mas que as memórias de uma viagem são para vida inteira.

Além das viagens, procuro falar no canal MarinaaoMundo sobre o trabalho em navio, ou seja, experiências e dicas para quem também deseja entrar nessa vida.

Agora falando sobre os países que conheci, fica difícil dizer quais são meus favoritos, porém sem sombra de dúvidas um dos que mais gostei foi a Noruega!

Fiordos Noruegueses, Geiranger, Noruega.

Hoje em 2017, decidi dar uma pausa na vida louca e agitada de trabalho em navio para me dedicar a uma nova aventura!

Irei ficar um tempo estudando na Irlanda, porém acredito que será uma experiência muito boa, até para aprimorar o inglês, conhecer mais pessoas e sem contar as viagens que terei oportunidade de fazer pela Europa, sem me preocupar em voltar para o navio correndo!

A gente viaja muito trabalhando a bordo, mas temos um tempo corrido para realmente conhecer e aproveitar os lugares que passamos! É possível conhecer, mas acredito que com as viagens que planejo fazer agora, será mais aproveitado e sem tanta correria!

Deixo minhas redes sociais, aceito parcerias e dicas para melhorar, agradeço o espaço do blog e grande parceiro Baú de Família por ter permitido contar um pouquinho da minha história aqui!

 

Minhas Redes Sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/marina.aomundo/

Facebook: https://www.facebook.com/marinaaomundo

Blog: https://marinaaomundo.blogspot.com.br

Nota do Baú: se eu fosse você não perderia por nada as grandes aventuras da Marina!! As mídias dela, todas, são sensacionais!!

Nota do Baú2: nós que agradecemos Marina, por você nos dar o prazer de te conhecer mais e por aceitar participar do nosso Blog! Um grande beijo e sucesso!!

Especial Blogueiros: Passaporte Rodado

Passaporte Rodado, por Bruno Cruz

Não consigo ter uma percepção clara de quando o desejo de viajar (que os norte-americanos definem tão bem com a palavra: wanderlust, hoje tatuada em meu braço) ou o porquê disto ter acontecido. Talvez possa ter surgido do fato de eu ser carioca e minha família ser mineira, por isso viajávamos todos os meses para visitá-los e sempre fui habituado à esta rotina. Ou porque a minha avó me presenteou, ainda garoto, com uma trilogia em VHS (lembram delas?) com as maravilhas do mundo, a qual mostrava diversos locais extraordinários, que hoje me dei conta: conheci quase todos eles. O fato é que não sei explicar de onde vem esta necessidade, mas sendo o mais cliché possível, eu me arriscaria a dizer que vem lá de dentro, do que imagino ser a alma.

Ainda adolescente, eu sonhava em conhecer muitos países mundo afora, mas percebia o quão difícil seria cumprir esta necessidade. Nos anos 90 ainda não existiam as empresas aéreas low-cost, sites de busca, blogs de viagem ou grandes promoções em hospedagem. Definitivamente, viajar ao exterior não era para todos.

Felizmente tudo isto mudou, o mundo evoluiu, as passagens baratearam e a oferta de voos aumentou. Hoje qualquer pessoa pode viajar. Basta se planejar, juntar dinheiro e definir suas prioridades. Afinal, tem gente que prefere ter carro…  eu prefiro viajar.

Vida seguiu, me formei como arquiteto e iniciei minha carreira no mercado de trabalho. Foi a partir deste momento, me vendo com um salário na mão, e ainda vivendo sob o teto dos pais que não pensei duas vezes e comecei a viajar nas férias. Seja sozinho, seja acompanhado, eu precisava “ver o mundo”.

A vida continuou seguindo, claro, e o Régis apareceu na minha vida. O casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovado no Brasil e já estávamos com os papéis prontos para isto. Nos casamos e fomos passar nossa lua de mel em Fernando de Noronha, pois ainda era território desconhecido para os dois. E foi assim que deixei de ser uma pessoa que desejava viajar e passei a ser duas. Uma dupla, um casal, uma parceria que resolveu iniciar um blog de viagem chamado Passaporte Rodado pra contar um pouco destas nossas experiências.

Junto com as viagens, surgiu outra paixão: a gastronomia. Pudemos também, por meio dos sabores, viajar em diferentes culturas. Tudo isto é uma celebração para nós dois que temos mais planos do que somos capazes de cumprir, mas que nos movem e nos empolgam a desejar cada vez mais a próxima viagem.

Visite a gente no blog passaporterodado.com e não esqueça das redes sociais!

Nos encontramos por aí!

Bruno em Angkor Wat em Siem Reap no Camboja.

 

Bruno na Chapada dos Veadeiros.

 

 

Casa Batló de Gaudí em Barcelona.

 

Régis na paradisíaca Maya Bay na Tailândia.

 

No Muro de Berlim, na Alemanha!!

 

Não perde a galeria linda que tem no Instagram @passaporterodado, a Página no Facebook e o completíssimo blog!! Passa lá!

Especial Blogueiros: Belo Dia Resolvi Viajar

Belo dia resolvi viajar por um ano pela Europa, sozinha e fazendo trabalho voluntário

por  Angélica Avante 

A convite do Baú de Família vou contar um pouco da maior empreitada que já me enfiei na vida! Sempre viajei muito, mas dessa vez é diferente! Estou viajando há quatro meses pela Europa, trocando horas de trabalho por hospedagem e alimentação! O trabalho voluntário, como algumas pessoas chamam, é uma experiência de imersão cultural total! É aprender com o diferente e sair da zona de conforto todos os dias!

Sempre gostei de viajar… já morei nos Estados Unidos, já fiz dois intercâmbios, viajei muito pelo Brasil, fiz America Latina…mas de quatro anos pra cá, desde que me formei e comecei de verdade essa tal “vida adulta”, tenho alimentado em mim, a vontade de tirar um ano para viajar pela Europa. Nunca soube exatamente como eu iria viabilizar este plano, mas nos últimos meses antes de sair do Brasil, eu decidi que de 2017 não passava!

 Conheci um site de trabalhos voluntários ao redor do mundo e não pensei duas vezes, que essa era a chance que eu estava esperando para meter minhas coisas na mala e cair no mundo! Minha viagem começou em Bordeaux, na França. Escolhi a França por ter uma verdadeira paixão pelo idioma. E apesar de já ter estudado no Brasil, essa foi a primeira oportunidade de praticar a língua. Depois de Bordeaux, passei por outras cidades da França. Conheci algumas cidades da Espanha, Portugal e Itália e vivi momentos de muitas descobertas.

 Há um mês estou no Reino Unido, aqui trabalhei como voluntária num festival de música alternativo em uma cidade de menos de 300 habitantes, onde fiquei acampada por quatro dias e foi uma das experiências mais malucas e enriquecedoras que tive o privilégio de viver durante esse ano. Viajar sozinha é ter consigo, sempre a melhor companhia. É não ter tempo certo para nada e poder re-arranjar seu planos sempre que quiser. É aprender a abordar estranhos, viver na casa de estranhos, pedir ajuda à estranhos, agradecer aos estranhos, cozinhar com estranhos, trabalhar para estranhos, atender estranhos, dividir tenda com estranhos, tocar com estranhos, dançar loucamente com estranhos, pedir carona à estranhos, aceitar ajuda de estranhos, aceitar comida de estranhos, ficar amiga de estranhos e depois poder chamar a maioria deles pelo nome e lembrar de cada um com carinho… é a maior onda!

Se você quiser saber um pouco mais sobre a minha aventura, sobre trabalho voluntário, sobre viajar sozinha e como eu planejei tudo isso, me siga nas redes sociais:

Especial Blogueiros: Coisas na Mala

Um amor em tons de verde, azul e amarelo: Brasil!

Por Jennifer Vargas, Luana Paixão e Nayme Bizaio.

Certa vez um amigo gaúcho, recém chegado a São Paulo, me perguntou sobre o Masp, ele queria saber como funcionavam as exposições, se valia à pena, o que esperar. O problema é que eu nunca havia tido nenhum tipo de contato real com o museu, além de fotos externas e passeios nos arredores, na Avenida Paulista. Surpreso com a minha resposta, ele brincou: “Conheço mais a sua cidade em seis meses, do que você em uma vida inteira”.

A provocação me rendeu uma reflexão incômoda por semanas e percebi que eu já tinha ido (e planejava ir) a muitos lugares, mas que quase sempre tratavam-se de destinos distantes, fora da capital, ou então que demandavam muita grana e planejamento: Estados Unidos, Itália, Espanha, Nova Zelândia, Austrália…

Comecei a conversar sobre o assunto com outros conhecidos e vi que aquilo era regra, quase ninguém cogitava viajar pelo país. “Imagina! Que perda de tempo”, diziam. “Com esse valor gasto aqui, você pode ir para o exterior”, repetido à exaustão. Faço ideia quantos de vocês também já não ouviram o mesmo discurso.

Não é problema sonhar em ir para fora, pelo contrário, a experiência de estar em contato frequente com culturas completamente diferentes da nossa, é enriquecedora, mas comecei a me perguntar por que não temos a mesma vontade de conhecer a fundo nossas próprias raízes? Por que negligenciamos, sem perceber, a nossa própria história?

A pulguinha atrás da orelha me perseguiu por anos, até que um dia em uma conversa informal e fotos incríveis postadas no Instagram, me juntaram à outras duas almas inquietas: Lua, que é turismóloga; e Nayme, jornalista como eu. Ambas apaixonadas por viajar. Foi o que bastou para transformarmos nossas afinidades em um blog, o Coisas na Mala, uma forma de suprir um pouquinho nosso desejo de estar sempre na estrada e conhecer mais sobre esse Brasilzão velho de guerra.

Nosso projeto, como todos os amigos viajantes, é de conseguir passar uma boa temporada só viajando pelo país, conhecendo pessoas e compartilhando suas histórias pelo caminho. Tem coisa mais deliciosa do que isso? Chegar em um lugar vazia e sair carregada de novas ideias e sentimentos. São coisas que só as viagens nos proporcionam.

É descobrir que existe uma comunidade pomerana no interior do Espírito Santo; é conhecer um senhor tão apaixonado por Ilha Grande que investe seu próprio dinheiro em um jornal local; é fazer trabalho voluntário em troca de hospedagem gratuita no Recife e não querer mais voltar; é enfrentar o medo de fazer a primeira viagem sozinha e amar!

A cada relato, post ou texto que lemos de outra pessoa, automaticamente nos teletransportamos para aquele momento, porque viajar também é compartilhar. E foi assim que nós percebemos que fomos nos encaixando perfeitamente, aos pouquinhos, como se a experiência de uma complementasse a vivência da outra. Sempre fazendo muitos planos, com uma mala na mão e o mapa na outra. Afinal, é como a gente fala: do que valem os sonhos se nunca estivermos realmente dispostos a assumir os riscos para realizá-los?

Tem muito mais em http://www.coisasnamala.com.br e no Instagram @coisasnamala têm fotos maravilhosas e dicas preciosas!

Jenni curtindo o paraíso! Em Arraial do Cabo.

 

Jenni em Vila Velha.

 

Jenni contemplando a paisagem em Vila Velha.

 

Jenni no Cristo Redentor.

 

Luana aventureira em Campos do Jordão!

 

Luana em Milho Verde, Minas Gerais.

 

Luana linda em Olinda!

 

Luana nas águas de Porto de Galinhas.

 

Luana em Recife.

 

Nayme no Pico do Lopo, Minas Gerais.

 

Nayme em São Tome, Véu de Noiva.

 

Nayme curtindo a praia de Ubatuba.

Essas três garotas aventureiras tem muito mais para contar, tem fotos incríveis e histórias imperdíveis! Corre para ler sobre nosso imenso País em Coisas na Mala! Valeu meninas, o Baú de Família super agradece!!

Especial Blogueiros: História e Viagens

Viajar é prioridade

Por Cintia Ferreira  de @historiaeviagens

Um dia, uma querida amiga me despertou para o significado de viajar. Não que eu já não entendesse o seu significado, mas ela me disse que, para ela, viajar era uma prioridade. E me perguntou sem pestanejar, qual era a minha prioridade? Eu fiquei balançada com aquela pergunta tão direta que me fez refletir tanto. Hoje eu sei: viajar é escolha! Sabe aquele tênis ou aquela calça da moda? Não tenho. E aquelas saídas à noite para beber com os amigos? Não saio. Troquei muitas coisas pelos meus álbuns cheios de fotografias pelas cidades mais lindas da Europa, pelos momentos em família feitos longe de casa, por todas as histórias que tenho a maravilhosa oportunidade de compartilhar em minhas aulas. Como se não bastasse, percebi que viajar mais com menos era uma questão de sustentabilidade e assim, transformei minha família, marido e dois filhos adolescentes, em mochileiros.

Procuro planejar cada viagem com muito cuidado, pois meu marido é professor de artes, eu, professora de história e meus dois filhos maravilhosos possuem 10 e 14 anos, portanto devo, impreterivelmente agradar a todos! Assim, planejo cada lugar para que todos tenham seu momento de satisfação, mesmo que de repente tenhamos que passar 5 horas em um museu, então, deve haver um momento de diversão para contrabalancear! Costumo dizer que os filhos são o reflexo dos pais, então se os pais incluírem seus filhos em seus próprios hobbies, os mesmos tornarão os seus.

Comecei minha viagem na vida aos 5 anos de idade! Meus pais me contam que dei muito trabalho no ônibus ao viajar de Butiá no Rio Grande do Sul até Santa Catarina (local que por sinal hoje, tornei minha morada). Mas foram eles os responsáveis por plantar em mim o “vírus” da viagem.  Aos 16 anos fiz minha primeira viagem internacional, num intercâmbio para o Chile, em 1998 (40 horas de ônibus, inesquecível)! Mas foi somente em 2014, que revi minhas prioridades e fiz a minha primeira viagem para a Europa. Até hoje foram 7 países (Vaticano conta né?), mas a data da próxima viagem já está marcada e as passagens compradas, então, este número vai aumentar em breve!

Querido leitor, apaixonado por viagens, que assim como eu, viaja junto nas fotografias dos outros, pergunto-lhe: quais são as suas prioridades? Eu também não sabia que viajar para o exterior com a família toda era possível até transformar as minhas prioridades. Portanto, se este é o seu sonho, conhecer um país distante, uma cultura diferente (pois nenhum valor paga a sensação de estar em um lugar que ninguém fala a sua língua), siga adiante. Planeje! Sonhe! Comece fazendo seu passaporte! Eu tenho certeza que você não vai se arrepender. Junte-se a nós! Vamos viajar juntos! “Um homem precisa viajar, por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros e tevês, precisa viajar, por si, com os olhos e pés, para entender o que é seu” Amyr Klink.

Não perca as aventuras da família História e Viagens no Instagram @historiaeviagens Vai lá!!!

Coliseu em Roma!

 

Curtindo em Capri!

 

Momento aeroporto: aquele em que todos que amam viajar, esperam ansiosamente! Aqui em Confins/MG.

 

Praia Retiro dos Padres, Bombinhas em Santa Catarina.

 

Segóvia, Espanha.

Especial Blogueiros: Sozinha pelo Mundo

Sozinha pelo Mundo,  por Sabrina Mendonça

Olá! A convite do “Baú de Familía”, vou contar a vocês sobre meu amor por viajar sozinha.

Estar só ao conhecer os lugares pode parecer triste para algumas pessoas, mas na minha opinião este é um tipo de viagem, assim como é viajar com amigos, parceiros ou familiares.

Amo viajar sozinha porque consigo fazer o roteiro inteirinho do meu gosto. Só faço exatamente o que me interessa. Posso, por exemplo, ficar 15 minutos num museu e três horas num parque. Gosto muito de observar a vida das pessoas da cidade onde estou, sentar num café e bater papo com o garçom, com o moço da banca de jornal. Com isso, acabo descobrindo restaurantes que os moradores frequentam, fora do circuito turístico. Estabelecimentos que servem aquela comidinha típica bem feita a um preço camarada.

Além disso, percebo que nas viagens que faço sozinha estou mais aberta a conhecer outras pessoas e a fazer novas amizades. Geralmente opto por ficar em albergue, onde as pessoas hospedadas estão na mesma “vibe”. Assim, o papo flui fácil. Conversando com os viajantes, tanto pego dicas do local em que estou, quanto aprendo sobre a cultura de outros países. Acho isso totalmente enriquecedor!

Em Paris, fiz amizade com uma chinesa que me levou a um restaurante típico de Pequim, e só quem consegue ler em chinês identifica esse restaurante como de comida de Pequim. A amiga oriental me apresentou pratos que eu nunca pensaria em pedir e eu contei a ela sobre o nosso yakisoba (ela não conhecia – acho que não existe na China, rs). Foi uma noite ótima, com uma maravilha de refeição!

Outra facilidade de viajar sozinha é conseguir lugar rapidamente nos restaurantes. Mesmo com as mesas lotadas, sempre tem um banquinho vazio no bar te esperando. No “The Cheesecake Factory”, cadeia de restaurantes americanos com filas enormes, eu nunca esperei pra sentar. Sigo para o bar e pronto. Janto lá mesmo e ainda bato um papo com o garçom.

Viajar sozinha também tem suas manhas. Uma delas é como lidar com a quantidade de comida para uma pessoa só.  Muitas vezes o prato principal é farto demais. O que fazer nessas ocasiões? Geralmente, opto por um petisco ou algo do menu infantil. Alguns restaurantes possibilitam pedir meia porção, porém podem te cobrar de 60% a 70% do valor original. Se nada disso der certo, minha sugestão é levar pra viagem o que sobrar.

Essas são algumas das razões pelas quais amo viajar sozinha.

 

 

 

 

Experimente você também sair por aí a conhecer o mundo! Veja os países que já visitei e confira minhas dicas no blog http://www.sozinhapelomundo.blog e segue no Instagram @sozinhapelomundoblog. Corre lá!!